Projeto social de igreja ajuda 20 mil ex-detentos a conseguir casa e emprego

Por Sandro meira para o portal CGIPU,
Publicado em: 08/04/19 - 08:48

 

Uma megaigreja neopentecostal dos Estados Unidos anunciou que ao longo dos últimos anos, seu projeto social ajudou aproximadamente 20 mil ex-presidiários, proporcionando meios para que conquistassem casas e empregos.

A Potter’s House, em Dallas, Texas (EUA), é uma megaigreja liderada pelo polêmico bispo TD Jakes, um entusiasta da teologia da prosperidade. Embora sempre esteja cercado de controversas, o líder religioso conduz um projeto social bastante consistente e conhecido no país.

O projeto TORI (sigla em inglês para Iniciativa de Reintrodução de Infratores do Texas) foi fundado em 2005, quando os abrigos do estado não estavam sendo capazes de fornecer ajuda para ex-criminosos oriundos do sistema prisional. Eles não tinham quem os auxiliasse com o processo de busca por emprego, moradia ou qualquer outra orientação.

Atualmente, na sede do TORI, os funcionários trabalham arduamente preparando os ex-detentos que cumpriram suas penas para trilharem sua jornada de forma gradual, no processo de retorno à vida em sociedade.

Para marcar a vitória dos beneficiados pelo projeto social, os responsáveis pelo TORI organizam uma cerimônia de graduação, como se fosse uma formatura, com convidados especiais. A ideia é fazer os ex-criminosos compreenderem que têm uma oportunidade de reescrever a vida.

“De acordo com Provérbios 31: 8, temos que aprender se queremos nos destacar na vida, defender as pessoas que não podem se defender”, disse o senador Tim Scott (do partido Republicano da Carolina do Sul) à multidão, durante uma recente cerimônia de graduação, segundo informações da emissora Christian Broadcasting Networking (CBN News).

É uma conquista notável que Scott considera ainda mais positiva que o trabalho do próprio governo dos EUA. “Imagine o que aconteceria se tivéssemos investidores e juízes e xerifes e chefes de polícia, promotores e bispos como o TD Jakes o suficiente em todo o país”, disse Scott. “É assim que você torna a comunidade mais segura”, acrescentou.

“O bispo chamou a atenção da igreja e disse que havia algo importante a ser feito. Que a comunidade estava pedindo isso”, comentou Tina Naidoo, diretora executiva do TORI. “Eu sei que há juízes aqui, há advogados e professores e médicos, assistentes sociais. Todas essas profissões estão na igreja. Agora vamos descobrir o que precisamos fazer”, teria pontuado TD Jakes, segundo ela.

A igreja faz parcerias com líderes e empresas da comunidade, e assim os trabalhadores da TORI garantem moradia e empregos, ao mesmo tempo em que ajudam a limpar os registros criminais e atender às necessidades espirituais de cada beneficiário. 

“Os proprietários não podem alugar [a casa] para você, mas eles vão alugar para mim. Então eu vou lá e vou dizer-lhes sobre o programa TORI, o quanto eles progrediram em um curto espaço de tempo, e como esse inquilino pode ser o inquilino mais leal que já tiveram”, explicou Naidoo, sobre como os voluntários apresentam a proposta de ajuda aos ex-detentos.

Em cerca de 14 anos e mais de 20 mil histórias de sucesso depois, o programa continua crescendo. “Isso não é tão complexo como fabricar foguetes. É a lei de Maslow: hierarquia de necessidades. São as necessidades básicas de cada humano. Se nós déssemos mais acesso aos nossos cidadãos que estão voltando para casa, não teríamos que construir tantos presídios”, acrescentou a executiva.

Um elemento chave desse processo de reforma é que ele não começa apenas fora da prisão. Alguns voluntários encontram-se com detentos antes de sua libertação. Um exemplo é o caso de Shane Gregory, um ex-detento: “Dia 14 de novembro de 2008 eu saí da prisão. Eu estava voltando para lá em 2017”, disse Gregory, que voltou ao presídio como voluntário do TORI.

“Eu ouvi o espírito me perguntar: ‘Por que você acha que eu te trouxe?’ […] O ministério TORI realmente me abençoou por [permitir] ver o efeito sobre os detentos, que viram alguém como eles mesmos, que na verdade decidiu que não voltaria [a ser preso]”, comentou.

Veronica Berry, uma ex-detenta e hoje empresária de sucesso, diz que deve tudo às lições aprendidas no TORI, tanto educacionais quanto espirituais: ”Confie em Deus. Não desista de si mesmo e não desista dessa esperança”, incentivou.

gospelmais.com 


Leia também

Reunião da 1ª Convenção Estadual das IPUs do estado de Rondônia.

A IPU de Vale do Anari - RO, sediou a 1ª CEIPU - RO.

A IPU do distrito de Itaquari, em Alcobaça - Ba, batizou dois novos membros.

A IPU de Teolândia - Ba, realizou a 1ª Festa Conjunta.

A Igreja Pentecostal Ungida de Praia Grande, em Fundão - ES, realizou uma grande festividade.

Receba Notícias por celular


Ex.: DDD + número de celular. 73 9 9999-9999



2016 - Convenção Geral das Igrejas Pentecostal Ungida